Blog

Neuropsicologia

Neuropsicologia, Reabilitação neuropsicológica e cognitiva e ETCC (Estimulação Transcraniana por corrente contínua) são áreas de atuação da saúde, cuja semelhança é a proposta de precisão e olhar humanizado, auxiliando no diagnóstico e promovendo intervenções efetivas, associadas ou não aos fármacos.

A Neuropsicologia é um campo da psicologia e das neurociências o qual pesquisa as afinidades entre o sistema nervoso central (SNC), o funcionamento cognitivo e o comportamento. Na conjuntura clínica a avaliação neuropsicológica tem o objetivo de amparar o diagnóstico diferencial de quadros neurológicos e neuropsiquiátricos. Já a Reabilitação neuropsicológica e cognitiva envolve uma série de intervenções voltadas para questões não apenas cognitivas, mas também emocionais, comportamentais, sociais e familiares. A intervenção por técnicas de Reabilitação deve ser realizada somente após avaliação neuropsicológica.

Quanto a ETCC, trata-se de uma terapia de estimulação cerebral não-invasiva, utilizada nos tratamentos de transtornos neuropsiquiátricos. Produz alterações benéficas ao cérebro, e vem apresentando efetividade nos quadros de depressão, adicção e TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), dentre outros, além dos poucos efeitos colaterais. A prescrição e protocolo devem ser realizadas pelo médico, enquanto aplicação pode ser realizada também pelo fisioterapeuta. Faz-se importante a avaliação psicológica e rastreio cognitivo antes e após aplicação terapêutica.

Dessa forma é necessário considerar a progresso constante e inevitável da medicina, assim como nas demais áreas de saúde. O desafio se faz em acompanhar os novos tempos, imersos na atuação multiprofissional, afim de promover bem-estar, qualidade de vida e saúde mental.

Referências Bibliográficas:

Miotto, Eliane Correa; Lúcia, Mara C. Souza; Scaff, Milberto- Neuropsicologia Clínica- 2 eds.- Rio de Janeiro: Roca,2018; p 3-5;

Miotto, Eliane Correa- Reabilitação Neuropsicológica e intervenções comportamentais- 1 ed.- Rio de Janeiro: Roca, 2020; p 4-6;

www://sin.org.br/historia-da-neuromodulação